UNDIME/MT

16/10/2020

Educação Conectada: escolas participantes devem instalar medidor de velocidade de conexão de internet

   

 


Entre as ações desenvolvidas no âmbito do Programa está a necessidade das escolas participantes instalarem o Medidor Educação Conectada, software desenvolvido pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações (Ceptro.br), departamento do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto Br (NIC.br), que permite às escolas verificarem parâmetros da conexão de banda larga.

Segundo o Ministério da Educação (MEC), desde o lançamento em 2018, 24.108 escolas em todo o Brasil instalaram o medidor, o que representa cerca de 34% das escolas que já receberem recursos do Programa.

O Medidor Educação Conectada (http://medidor.educacaoconectada.mec.gov.br) permite à escola, a qualquer momento, medir a qualidade da conexão, visualizando os resultados, assim como o histórico das medições anteriores. Os resultados apresentados são referências para o acompanhamento do desempenho da banda larga ao longo de um período. Com ele, é possível avaliar se as redes utilizadas nas escolas estão compatíveis com o Programa de Inovação Educação Conectada.

As equipes das secretarias de educação podem monitorar as escolas que já instalaram o Medidor pelo acesso ao link http://medidor.educacaoconectada.mec.gov.br. As escolas que ainda não executaram essa atividade devem, de acordo com a pasta, ser orientadas no sentido de instalar sistema de monitoramento de velocidades da banda larga nas escolas que possuam conexão à internet e naquelas que venham a contratar a conexão no âmbito do Programa, a fim de permitir fiscalizar a qualidade do serviço.

Além das orientações disponíveis na página do medidor, para qualificação de técnicos, a Secretaria de Educação Básica do Ministério disponibiliza, desde 2019, o curso "A importância de analisar a qualidade da internet", formação online de 60 horas, disponível no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AvaMEC).

Sobre o Programa

O Programa de Inovação Educação Conectada fomenta ações como auxiliar que o ambiente escolar esteja preparado para receber a conexão de internet, destinar aos professores a possibilidade de conhecerem novos conteúdos educacionais e proporcionar aos alunos o contato com as novas tecnologias educacionais.

A implementação contempla três fases: (1) indução (2017 a 2018) para construção e implantação do Programa com metas estabelecidas para alcançar o atendimento de 44,6% dos alunos da educação básica; (2) expansão (2019 a 2021) com a ampliação da meta para 85% dos alunos da educação básica e início da avaliação dos resultados; e (3) sustentabilidade (2022 a 2024) com o alcance de 100% dos alunos da educação básica, transformando o Programa em Política Pública de Inovação e Educação Conectada.

Cada seccional da Undime conta com pelo menos um coordenador estadual que atua na gestão local do Programa de Inovação Educação Conectada.

Fonte: Undime com informações do MEC