UNDIME/MT

01/11/2019


O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse hoje (22) que pretende começar a implementar a Política Nacional de Alfabetização (PNA) em 2020. “A gente quer começar [a implementar] ano que vem. Assim que as crianças voltarem às aulas, elas vão ter uma surpresa”, disse à imprensa.

Hoje (22) teve início, em Brasília a 1ª Conferência Nacional de Alfabetização Baseada em Evidência (Conabe), que reúne especialistas, autoridades e professores. O evento, que segue até sexta-feira (25), servirá de subsídio para a elaboração do chamado Relatório Nacional de Alfabetização Baseada em Evidências que, por sua vez, servirá de base para a nova política do governo.

A PNA foi lançada em abril deste ano. Era uma das metas estipuladas para os 100 primeiros dias do governo Bolsonaro. A Conabe é, segundo o MEC, um dos passos para tirar a política do papel. “A Secretaria [de Afabetização] está desenhando programas e anunciaremos em momento oportuno”, disse o secretário da pasta do MEC, Carlos Nadalim.

Segundo Weintraub, uma das primeiras medidas para pôr em prática o PNA será anunciada no mês que vem e será relacionada à literacia familiar (conjunto de práticas e experiências relacionadas com a linguagem, a leitura e a escrita, as quais a criança vivencia com seus pais ou cuidadores). O ministro não detalhou o que será feito pelo governo, mas adiantou, que pais e responsáveis receberão capacitação para ajudar na alfabetização das crianças. leia mais...

O Movimento Colabora, o Consed e a Undime lançam a versão online do Guia de Regime de Colaboração Estados-Municípios. O documento, que já conta com uma versão impressa (foto), apresenta princípios gerais e vantagens da atuação em regime de colaboração, fatores de sucesso e experiências exitosas em todo o país. Além disso, o leitor encontra nele as principais etapas e subetapas que constituem a elaboração de políticas públicas em regime de colaboração, bem como ferramentas e metodologias que podem ser úteis para seu planejamento e implementação.

O Guia na versão online, disponível neste link http://movimentocolabora.org.br/guia-de-colaboracao/, foi construído para ser didático. Por isso, está organizado em abas denominadas: Estrutura, Fundamentos, Fatores de Sucesso, Construção da Política Pública e Caderno de Soluções.

Ao acessar o Guia online, há uma mensagem da Undime destinada aos Dirigentes Municipais de Educação e outra do Consed, voltada aos secretários de Estado. Nesta mensagem, a Undime reitera alguns pontos que considera importantes.

"O conceito de Regime de Colaboração previsto na Constituição, e ainda não instituído, é mais amplo do que simples realizações de parcerias e/ou a regulamentação de modelos de consórcios e arranjos de desenvolvimento da educação. O Regime de Colaboração demanda diálogo, diagnóstico, planejamento e monitoramento para a construção e implementação de políticas públicas. Assim, na perspectiva intermunicipal, devem ser construídas a partir das necessidades e demandas dos municípios. É preciso evitar a criação de instâncias intermediárias, com desenhos geopolíticos, acima dos municípios", diz um trecho da carta da Undime que recomenda a utilização do Guia para auxiliar no processo de discussão e implementação do Regime de Colaboração.

Fonte/Foto: Undime


a última quarta-feira (23), o Conviva Educação discutiu em videoconferência a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a implementação dos currículos, formação de professores, atualização dos Projetos Pedagógicos e o funcionamento do Programa de Apoio à Implementação da BNCC - Pró-BNCC, do governo federal.

O debate, transmitido ao vivo pelo canal da plataforma no Youtube, contou com a participação de Danilo Dalmon, coordenador de Inovação e Interação com o Trabalho, do Ministério da Educação; Marcia Portela, especialista do Conviva e coordenadora estadual da implementação do documento curricular no Rio Grande do Norte; e Luiz Miguel Martins Garcia, presidente da Undime e Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci (SP).

Para quem não pode acompanhar em tempo real, o vídeo está disponível neste link https://www.youtube.com/watch?v=kqUhTeQSWjw. Mais de 1.200 pessoas já assistiram!

Fonte/Foto: Undime

Intitulado "Busca Ativa Escolar Na Prática" curso está com inscrições abertas!

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), a Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), o Congemas (Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social), o Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde), a Uncme (União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação), a Cidade Escola Aprendiz e o Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária), parceiros da estratégia Busca Ativa Escolar, lançaram o curso à distância Busca Ativa Escolar Na Prática.

Apresentado oficialmente na última quarta-feira (23), por meio de uma live no YouTube do Unicef, o curso tem por objetivo qualificar o trabalho de gestores e de técnicos municipais visando à garantia dos direitos de crianças e adolescentes.

O curso é gratuito e contribui para a implementação da estratégia Busca Ativa Escolar, que apoia municípios e Estados no enfrentamento da exclusão escolar, fenômeno que ainda atinge, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (PnadC/IBGE), cerca de 1,9 milhão de meninas e meninos brasileiros entre 4 e 17 anos.

O "Busca Ativa Escolar Na Prática" conta com uma série de percursos formativos elaborados com foco em cada um dos cinco perfis de atuação na Busca Ativa Escolar: Gestor(a) Político(a), Coordenador(a) operacional, Supervisor(a) institucional, Técnico(a) verificador e Agente comunitário(a). lei mais...

Siope Gerencial permite pesquisas diversas sobre investimentos em educação e cruzamento de dados com índices educacionais

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) criou uma nova ferramenta de auxílio aos gestores da área educacional e de transparência sobre os investimentos em educação. O Módulo Gerencial do Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope Gerencial) permite acesso rápido a indicadores de investimento em educação, possibilita cruzamento desses dados com índices educacionais, como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), taxas de aprovação, reprovação e abandono, e ainda propicia comparativos com outros diversos indicadores produzidos pelo Siope.

O intuito é trazer mais agilidade na busca por dados sobre recursos da educação, auxiliar o planejamento e a gestão educacional, além de dar transparência aos investimentos na área educacional, já que o sistema é aberto a toda a sociedade. “O Siope Gerencial é uma forma mais atrativa e clara de exibir o uso dos recursos”, afirma o coordenador-geral de Operacionalização do Fundeb, Fábio Ibiapina.

De fácil manejo, o módulo gerencial permite, por exemplo, que o usuário veja se o ente federativo cumpriu a norma constitucional de investir no mínimo 25% da receita de impostos e transferências em manutenção e desenvolvimento do ensino, ao mesmo tempo que mostra a utilização dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e o respectivo Ideb.

A pesquisa também pode ser feita por grupo de municípios, por estado ou em todo o país. Além disso, o Siope Gerencial indica o percentual de investimento em áreas específicas, como alimentação escolar, por exemplo, comparado ao total investido em educação.

As informações disponibilizadas no sistema englobam dados desde o ano de 2005, que podem ser pesquisados de forma individual ou agrupados e com o uso de diversos filtros, como ano de exercício (série histórica), esfera administrativa (Estadual ou Municipal), região, mesorregião, microrregião e por faixas de população. Ainda, é possível efetuar comparação entre vários municípios.

As informações são visualizadas por gráfico de barra, linha, tabela ou relatório detalhado.

Fonte/ Foto: FNDE

Medida visa dar mais transparência, economia, eficácia e celeridade ao andamento dos processos da autarquia

O Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), disponibilizou 16 novos serviços no portal gov.br. Agora, solicitações referentes à execução dos programas, alteração de dados cadastrais, análise de documentações e regularização de repasses de recursos poderão ser feitas por meio da plataforma on-line, sem necessidade de deslocamento do usuário.

De acordo com o presidente do FNDE, Rodrigo Dias, a proposta visa facilitar a vida dos gestores municipais, tornando os processos mais transparentes e ágeis, gerando economia e rapidez. “Essa iniciativa atende as orientações do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e do ministro da Educação, Abraham Weintraub, de desburocratizar e facilitar a vida dos cidadãos”, afirmou.

A previsão é que até o segundo trimestre de 2020 sejam ofertados no portal mais 22 serviços do MEC, executados via FNDE. Espera-se que, em breve, todas essas demandas sejam realizadas apenas digitalmente.

Com serviços do FNDE, Governo Federal bate meta prevista para 2019

Em outubro, o Governo Federal concluiu a digitalização de 400 novos serviços, batendo a meta estabelecida para este ano. O marco foi alcançado com a disponibilização do serviço que viabiliza a solicitação da absorção do saldo devedor para a quitação da dívida relacionada a contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

Segundo a Secretaria-geral da Presidência da República, a transformação dos 400 novos serviços significa uma economia anual estimada de mais de R$350 milhões aos cofres públicos e de cerca de R$1,2 bilhão aos cidadãos.

Clique aqui para acessar a lista com os 16 serviços disponibilizados pelo FNDE.

Fonte/ Foto: FNDE
TV Escola lança o Conexão Escolas, projeto voltado para professores, diretores e gestores da área da Educação


A TV Escola inova mais uma vez na criação e na implementação de projetos voltados para a Educação. Com a missão e a vocação de acreditar e investir sempre na melhoria da qualidade do ensino brasileiro, lança o site Conexão Escolas, nova área de comunicação do portal da TV Escola, que é gerida pela Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto.

A produção é da Gerência de Formação de Professores da Diretoria de Educação, Comunicação e Cultura da TV Escola. Para o diretor geral da Roquette Pinto, Francisco Câmpera, o portal é um espaço para melhorar ainda mais a educação. "Esse espaço aqui, um dos objetivos dele é mostrar as melhores experiências que tem no Brasil, por que às vezes um professor que tá lá no interior, por exemplo, da Amazônia, ele vai nos dá uma ideia que a gente não sabe, não percebeu, não tem essa vivência. Então a gente abriu esse canal voltado para a capacitação do professor", afirmou. Já para Eduardo de Melo, diretor geral adjunto, o Conexão Escolas foi feito para facilitar o desempenho dos profissionais da educação. "A Roquette Pinto tem essa iniciativa de levar a esse público, principalmente professores, diretores e gestores, esse acervo de experiências e boas práticas onde a gente possa facilitar e desenvolver mais o desempenho de cada um, esse é o nosso objetivo.", acrescentou. leia mais...

Em outubro, Amazonas e Rio de Janeiro aprovaram novos currículos para Educação Infantil e Ensino Fundamental e agora todas as unidades federativas do país contam com referenciais construídos em regime de colaboração.

As aprovações marcam o fim da primeira etapa de implementação da BNCC para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental e são passo fundamental para sua consolidação. leia mais...