UNDIME/MT

17/10/2019

Como é de conhecimento de todos(as), a Undime integra a Frente de Comunicação e Engajamento da Agenda da Aprendizagem, em parceria com o Consed. E neste dia 17 de outubro realizaremos em conjunto o Dia C de Comunicação da BNCC.

O Dia C é uma mobilização de todas as comunicações (secretarias estaduais, Undime, Consed, terceiro setor) para uma ação simultânea de divulgação de materiais sobre a implementação da BNCC e Novo Ensino Médio nas redes sociais.

Para tanto, solicitamos a divulgação nas redes sociais das seccionais do Dia C da BNCC da Educação Infantil e Ensino Fundamental, nesta quinta-feira 17 de outubro. O Dia C do Novo Ensino Médio será no dia 23.

As postagens do dia 17 devem seguir com: #ComunicaBNCC #revisaoPPP #novocurrículo #formaçãoBNCC

Caso também seja interesse da seccional também postar sobre Dia C do Novo Ensino Médio será, no dia 23, as postagens devem seguir com: #ComunicaBNCC #ComunicaNovoEnsinoMédio #itineráriosformativos #consultapública

Os materiais disponibilizados são os seguintes:

Card 1 (clique aqui) - Link para ser utilizado na divulgação: bit.ly/duvidasBNCC
Card 2 (clique aqui) - Link para ser utilizado na divulgação: bit.ly/inovacoesBNCC
Card 3 (clique aqui) - Link para ser utilizado na divulgação: bit.ly/BNCCnoMunicípio
Card 4 (clique aqui) - Link para ser utilizado na divulgação: bit.ly/revisaoPPP

Sobre Educação Infantil podem ser utilizados esses cards disponíveis neste link: https://drive.google.com/drive/u/0/folders/1dnnax7wZtYjCus66ok27TwBoiWjZYKPZ


Qualquer dúvida, estamos à disposição para ajudar.

Atenciosamente,
Equipe Undime

15/10/2019



O Conviva Educação, parabeniza todos os professores que com tanto amor e dedicação fazem das nossas crianças, cidadãos cada vez melhores.

Ser professor é...

Ser professor é professar a fé
e a certeza de que tudo terá valido a pena
se o aluno se sentir feliz pelo que aprendeu
com você e pelo que ele lhe ensinou...

Ser professor é consumir horas e horas
pensando em cada detalhe daquela aula,
que mesmo ocorrendo todos os dias,
é sempre única e original...

Ser professor é entrar cansado numa
sala de aula e, diante da reação da turma,
transformar o cansaço numa aventura
maravilhosa de ensinar e aprender...

Ser professor é importar-se com o outro
numa dimensão de quem cultiva
uma planta muito rara que necessita
de atenção, amor e cuidado.

Ser professor é ter a capacidade de
"sair de cena, sem sair do espetáculo".
Ser professor é apontar caminhos,
mas deixar que o aluno caminhe
com seus próprios pés...

Feliz dia dos Professores!

10/10/2019


Nesta sexta-feira (11.10), às 14h, será realizada a quarta edição da transmissão ao vivo ‘Jovens de Futuro’, direto do município de Santo Antônio de Leverger (a 12 km de Cuiabá). Neste evento, promovido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), em parceria com a Associação para Desenvolvimento Social dos Municípios (APDM), também ocorrerá o lançamento do Fundo da Infância e Adolescência (FIA).

“O projeto ‘Jovens de Futuro’ tem como objetivo ressaltar a trajetória de cada participante para incentivar crianças e adolescentes a acreditarem e se esforçarem para realizar os seus sonhos. Esses jovens nos orgulham e servem de exemplos de força, dedicação, coragem e superação”, destacou o secretário da Seciteci, Nilton Borgato. Ao todo, serão realizadas cinco edições do ‘Jovens de Futuro’, sendo que a última ocorrerá durante a ‘Semana Nacional de Ciência e Tecnologia’, no dia 25 de outubro. leia mais...


Venham conhecer histórias inspiradoras de quatro jovens na sexta-feira (11.10), às 14h, durante a transmissão ao vivo ‘Jovens de Futuro IV’. Aproveite e já acesse o Canal no YouTube da SECITECI.


O presidente da regional Centro-Oeste e da seccional de Mato Grosso da UNDIME e Dirigente Municipal de Educação do município de Várzea Grande, Sílvio Fidelis, participou da agenda de compromissos em Brasília, no dia 08/10 (terça-feira), juntamente com a diretoria executiva da Undime que agendou reuniões com dirigentes do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

09/10/2019

"Muitas pessoas que estão fazendo o país avançar e resolvendo desafios da educação estão aqui hoje." Foi assim que Denis Mizne (diretor executivo da Fundação Lemann) começou o Redes Que Transformam, em Embu das Artes, entre os dias 28 e 30 de setembro. Saiba mais.

08/10/2019

Que a sua dor seja breve


Senhor Dirigente Municipal de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos receba os sentimentos da Família UNDIME/MT pela perda de sua querida mãe, Rosângela Campos Vieira Passos (70), Professora Rosinha e, toda a nossa solidariedade.

04/10/2019


Programa de formação de professores quer melhorar a qualidade das aulas de ciências nas escolas públicas

Professores de ciências já podem se inscrever no Ciência é 10, programa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que pretende melhorar a qualidade das aulas de ciências nas escolas públicas. A iniciativa vai abrir 3.920 vagas para a formação de docentes que dão aula para estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental.

As inscrições deverão ser feitas diretamente nos sites das 19 instituições de ensino superior federais e estaduais participantes, que definem, com editais próprios, o prazo final das inscrições. As instituições estão espalhadas por todas as regiões do Brasil, com oferta em 125 municípios brasileiros (veja a lista aqui).

“Além de investirmos no aluno, é fundamental que a gente invista também na figura do professor de tal sorte a capacitá-lo para dar suas aulas de maneira adequada”, afirma o secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Janio Macedo.

O início das aulas está previsto para fevereiro de 2020, por meio da Universidade Aberta do Brasil (UAB), sistema da Capes para integrar e articular as universidades públicas com os governos municipais, estaduais e federal por meio da modalidade de ensino a distância.

Mais de 400 mil alunos do ensino fundamental serão beneficiados pelo Ciência é 10. “Uma das tarefas desse curso é preparar esse professor com condições de ele fazer experiência com material de reciclagem, fazer experiências do cotidiano do aluno”, ressaltou o diretor de Educação a Distância da Capes, Carlos Lenuzza.

Fonte: MEC

Os dados preliminares do Censo Escolar 2019 foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira, 2 de outubro. Os responsáveis pelos estabelecimentos de ensino têm 30 dias para conferir, complementar e, se for necessário, retificar as informações escolares. Esta é a última oportunidade para realizarem alterações nas informações declaradas, inclusive aqueles que não iniciaram a coleta do censo. Após a retificação, não será mais possível alterar os dados declarados na Matrícula Inicial do Censo Escolar 2019. É importante que os gestores escolares estejam atentos a esse período conferindo os dados por meio dos relatórios disponibilizados no Sistema Educacenso.

Secretários - Os gestores dos sistemas estaduais e municipais de educação devem acompanhar todo processo censitário e zelar pelo cumprimento dos prazos. A atual divulgação tem caráter operacional para a atualização das informações, e os números publicados nesta etapa da coleta de dados possuem caráter preliminar. O diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Moreno, destaca a importância da pesquisa para formulação de políticas públicas. “Em países como o Brasil, com grandes desafios sociais e, particularmente, com grandes desafios na área educacional, a informação passou a figurar como um bem público, um patrimônio dos gestores educacionais que reconhecem no Censo Escolar uma fonte confiável e capaz de oferecer subsídios para um diagnóstico fundamentado sobre o sistema educacional brasileiro”, explicou o diretor.

A divulgação dos resultados finais do Censo Escolar, das sinopses estatísticas, com todas as redes de ensino, de forma contextualizada, e dos microdados públicos está prevista para o final de janeiro de 2020. O Censo Escolar da Educação Básica 2019 será publicado no DOU e, como prevê a legislação, será usado como base para destinação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). “O Fundeb inova, ao reconhecer o valor da informação estatística, utilizando os dados apurados pelo Censo Escolar para distribuição dos recursos que financiam a educação básica no Brasil”, destaca o diretor do Inep.

Censo Escolar – Principal instrumento de coleta de informações da educação básica, o Censo Escolar é coordenado pelo Inep e realizado em regime de colaboração entre as secretarias estaduais e municipais de educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país. Abrange as diferentes etapas e modalidades da educação básica: ensino regular, educação especial, educação de jovens e adultos (EJA) e educação profissional.





Fonte: Inep


A última quinta-feira (27) foi movimentada. Após a participação, durante todo o dia, na 1ª Reunião com os Interlocutores das Avaliações da Educação Básica 2019, realizada pelo Inep, Dirigentes Municipais de Educação que compõem a Gestão Ampliada da Undime participaram de reunião na sede da instituição, em Brasília (DF).

Reunido, o colegiado que é composto pela diretoria executiva e presidências das seccionais da Undime (gestão 2019-2021), aproveitou para deliberar sobre assuntos internos da instituição, que envolvem, por exemplo, o posicionamento com referência ao novo Fundeb - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, bem como a parceria com a Google for Education. leia mais...

01/10/2019






Clique no link abaixo e veja os locais dos jogos!

https://drive.google.com/open?id=12fAojg_hPXHV7Rp0tScms07mRK5dwvp3







30/09/2019

                                                                                                      Veja os dois destaques desta semana:
É AMANHÃ!
Dia 1, às 16h (horário de Brasília), acompanhe a videoconferência do Conviva sobre *Avaliação no Ensino Fundamental*. Reflita conosco sobre as práticas avaliativas realizadas em sala de aula e conheça as novidades do Saeb, o Sistema de Avaliação da Educação Básica. Teremos a participação da Undime, de Carlos Roberto Pinto de Souza (Diretor de Avaliação da Educação Básica, DAEB/Inep), e de Celso Vasconcellos (Doutor em Educação pela USP e autor de livros sobre avaliação). 
Registre suas dúvidas desde já: http://bit.ly/2llYehu
Acompanhe ao vivo dia 1, amanhã, neste link: http://bit.ly/2sJcBPQ

As inscrições para a *4ª Ação de Reconhecimento do Conviva* terminaram na última sexta-feira, dia 27 de setembro. Agradecemos a todos pela mobilização: recebemos *244 inscrições*! Ao organizar as informações sobre o trabalho realizado na secretaria e fazer os registros, certamente muita reflexão sobre as práticas de gestão foram realizadas! Acompanhe as etapas de seleção nas próximas semanas: *dia 23 de outubro anunciaremos os 30 melhores colocados*.
Acompanhe a área de notícias do Conviva: http://bit.ly/2P7Igo1

26/09/2019



Veja os destaques que interessam para sua gestão:

>> Dia 01/10, às 16h (horário de Brasília), acompanhe a videoconferência do Conviva sobre Avaliação no Ensino Fundamental. Reflita conosco sobre as práticas avaliativas realizadas em sala de aula e conheça as novidades do Saeb, o Sistema de Avaliação da Educação Básica. Teremos a participação da Undime, de Carlos Roberto Pinto de Souza, Diretor de Avaliação da Educação Básica (DAEB/Inep), e de Celso Vasconcellos, Doutor em Educação pela USP e autor de livros sobre avaliação.
 
Registre suas dúvidas desde já: http://bit.ly/2llYehu
Acompanhe ao vivo dia 1 neste link: http://bit.ly/2sJcBPQ

>> É AMANHÃ! O prazo de inscrições para a *4ª Ação de Reconhecimento do Conviva* termina amanhã, dia *27 de setembro*. Mobilize a equipe, priorize esse registro e não deixe para a última hora. Descreva alguma iniciativa realizada pela gestão com o apoio do Conviva e concorra a diversos prêmios. Se precisar de apoio, conte comigo! Acesse: http://bit.ly/2zgMJOa

O Ministério da Educação (MEC) não apoia o aumento para 40% na complementação da União no Fundo Nacional de Manutenção da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) proposto no Legislativo. De acordo com ministro da Educação, Abraham Weintraub, não há justificativa técnica para ampliar dessa maneira o percentual atual, de 10%.

“A gente é a favor de gastar mais com educação, principalmente no [ensino] fundamental. Queremos e apresentamos uma proposta factível, palpável e concreta para que isso acontecesse. Estamos dispostos a aumentar os gastos, mas dentro de critérios de desempenho técnicos”, afirmou Weintraub durante coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira, 19 de setembro.

Em junho, o MEC propôs o acréscimo à complementação dos atuais 10% para 15%, progressivamente, com a implementação de critérios que melhorem o desempenho da educação básica atrelados à eficiência na aplicação dos recursos. O aumento seria de um ponto percentual ao ano. “Não estamos falando de pouco dinheiro. É um aumento de 50%”, disse.

De acordo com o ministro, o modelo desenhado pelo MEC leva em consideração a responsabilidade fiscal com as contas públicas ao mesmo tempo que garante um piso, tecnicamente recomendável, para alfabetizar uma criança. “Consideramos uma série de estudos que falam que o gasto mínimo para uma educação de qualidade é R$ 4.500 por aluno. Vamos atingir esse valor em todos os municípios do Brasil com a proposta apresentada para o Fundeb”, afirmou.

O Fundo tem vigência até 2020 e corresponde a aproximadamente 63% dos recursos para financiamento da educação básica pública no Brasil. Em 2019, R$ 14,4 bilhões em repasse estão previstos. A proposta do MEC vinha sendo construída em diálogo com a deputada professora Dorinha (DEM-TO), relatora da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que está sendo analisada em comissão especial da Câmara dos Deputados.

Nesta quarta-feira, 18, a parlamentar entregou a minuta que será a base do substitutivo da proposta que torna permanente o Fundeb. Um dos pontos centrais do documento é a ampliação da participação da União no Fundo para 15%, em 2021, com acréscimos anuais de 2,5 pontos percentuais até chegar a 40%, em 2031. O impacto orçamentário total seria de R$ 279,8 bilhões ao longo desses anos.

O texto apresentado pela deputada surpreendeu o MEC. “Esperávamos que fosse alguma coisa mais próxima do que queríamos. Estamos integralmente contra toda a proposta [...]. Estávamos conversando, houve o diálogo por alguns meses, mas agora estamos retirando o apoio”, enfatizou o ministro.

Segundo o ministro, uma solução para o novo Fundeb está sendo construída junto com a Casa Civil e o Ministério da Economia. O secretário-executivo do MEC, Paulo Antonio Vogel, também participou das coletiva à imprensa.

Fonte: MEC

A Undime participou, nesta terça-feira (17), do 1º encontro da Frente Formação de Gestores, do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed). Reunidos na capital federal, técnicos dos estados de Tocantins, São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul compartilharam boas práticas relacionadas ao tema. A Undime esteve representada pela secretária executiva, Vivian Melcop. Participaram, ainda, representantes do Ministério da Educação (MEC).

Um dos objetivos da Frente é formatar um curso para formação de gestores, a ser disponibilizado em plataforma aberta do MEC, a partir das experiências de estados e municípios.

O encontro faz parte das atividades da Agenda da Aprendizagem, documento construído em regime de colaboração pelo Consed e Undime que apresenta as demandas consideradas urgentes para estados e municípios no que se refere à Educação. Dividida em seis pontos estratégicos, a Agenda aponta como prioridade pautar discussões sobre o Sistema Nacional de Educação, Financiamento da Educação, Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e o Sistema de Avaliações Externas.

Fonte: Undime/ Foto: Consed

25/09/2019


O Ministério da Educação (MEC) divulgou dois ofícios com informações urgentes sobre os recursos de 2019 referentes ao Programa Mais Alfabetização (PMAlfa): Ofício nº10/2019 e Ofício nº 90/2019.

Ofício nº 10: é de 3 de setembro e orienta que as escolas que tiverem identificado discrepância em relação à 1ª parcela depositada para execução de 60% do Plano de Trabalho do PMAlfa em 2019, não devem executar os valores excedentes e aguardar orientações do MEC.

Acesse neste link o Ofício nº 10:

Ofício nº 90: é de 6 de setembro e orienta que todas as escolas participantes do Programa Mais Alfabetização NÃO executem os recursos recebidos referentes à 1ª parcela de 2019, pois foram identificadas discrepâncias nos valores pagos.

Acesse neste link o Ofício nº 90: 

A recomendação do MEC é para que todos aguardem as orientações que serão enviadas oficialmente pela Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC). O Ministério já está trabalhando neste sentido.

É solicitado ainda a colaboração dos coordenadores estaduais da Undime no âmbito do PMAlfa para que essas informações cheguem o mais rápido possível às escolas.

Fonte: Undime com informações do MEC

Começaram nesta segunda-feira, 9 de setembro, as inscrições para a 2ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) para estudantes do 4º e 5º anos do ensino fundamental matriculados em escolas municipais, estaduais e federais. Alunos matriculados em outras modalidades, como educação de jovens e adultos (EJA), estão aptos a participar desde que sua série escolar corresponda ao 4º ou 5º ano do Ensino Fundamental.

Gratuitas, as inscrições devem ser feitas em nome das escolas por meio das secretarias de Educação — municipais ou estaduais — ou pelos representantes das escolas federais até 10 de outubro. Leia o regulamento aqui.

A prova, com 15 questões objetivas, com cinco alternativas, sendo apenas uma correta, será aplicada nas escolas inscritas em 29 de outubro. O conteúdo das provas segue os Parâmetros Curriculares Nacionais para alunos de 4º e 5º anos do Fundamental. As questões estimulam o raciocínio lógico e a criatividade.

A prova é realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC).

No ano passado, um total de 1,5 milhão de alunos, de 20 mil escolas públicas de todo Brasil, participou da olimpíada.

Fonte: MEC


Documento foi entregue, em mãos, ao Movimento Colabora Educação

Na manhã da última sexta-feira (6), a Undime por meio da diretoria executiva e presidências das seccionais entregou ao Movimento Colabora a carta intitulada "Colaboração e autonomia". No documento, formalmente entregue ao secretário executivo do Movimento, Guilherme Lacerda, a Undime elenca pontos de defesa ao Regime de Colaboração.

Entre eles, está que o conceito de Regime de Colaboração previsto na Constituição, e ainda não instituído, é mais amplo do que realizações de iniciativas em parceria e/ou a simples regulamentação de modelos de consórcios e arranjos de desenvolvimento da educação; que o Regime de Colaboração, na perspectiva intermunicipal, deve ser construído a partir das necessidades e demandas dos municípios; e que a articulação entre seccionais da Undime, consórcios municipais e arranjos de desenvolvimento da educação é essencial para garantir a efetividade e a eficácia de ações colaborativas e de cooperação.

O documento foi construído de maneira democrática e participativa após discussões sobre o assunto no âmbito da 1ª reunião da Gestão Ampliada, realizada na noite da quinta-feira (5). O encontro ocorreu após a realização do II Seminário Colabora Educação, em Brasília.

A íntegra da carta com os pontos de defesa da Undime quanto ao Regime de Colaboração está disponível neste link: clique aqui...

Encontro aconteceu na noite da última quinta-feira (5)

Na noite da quinta-feira, 5 de setembro, a Undime realizou a 1ª reunião de Gestão Ampliada, biênio 2019/ 2021. O objetivo do encontro foi apresentar um balanço do 17º Fórum Nacional, realizado na Bahia, em agosto, e deliberar sobre algumas políticas educacionais.

Essa é a primeira reunião da gestão do novo presidente, Luiz Miguel Martins Garcia, Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci (SP), que assumiu o cargo no último dia 15 de agosto.

Participaram da reunião as presidências das seccionais e membros da diretoria executiva nacional.

Na ocasião, um dos temas tratados por Luiz Miguel foi o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O intuito foi discutir e estabelecer uma posição da instituição quanto ao novo Fundo, uma vez que a vigência do atual expira no final de 2020.

Os dirigentes discutiram e chegaram à conclusão, entre outros pontos, que o novo Fundeb deve ser permanente (compor o texto constitucional) e que o Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) seja incorporado como mecanismo de referência para o cálculo do Valor Aluno Ano (VAA), considerando inclusive as possíveis discrepâncias regionais.

A ideia é divulgar um posicionamento da Undime quanto à defesa da instituição ao novo Fundeb. Isso será feito, em breve, a partir das discussões realizadas durante a reunião.

Além disso, foram discutidos assuntos que envolvem a Educação Infantil, arranjos de desenvolvimento da educação e consórcios. Foi falado também em construir um planejamento estratégico da Undime para nortear o trabalho da instituição. "Queremos criar grupos de trabalhos como forma de garantir qualidade técnica para as nossas discussões", disse Luiz Miguel.

Creches com obras inacabadas poderão ter prioridade de financiamento federal. É o que determina projeto aprovado nesta terça-feira (24) pela Comissão de Educação (CE). O texto (PL 3.971/2019) segue para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que dará a palavra final.

Pela proposta, nas transferências da União aos municípios e ao Distrito Federal destinadas à construção de estabelecimentos de educação infantil, terão prioridade as obras já iniciadas com apoio financeiro federal. Na justificativa do projeto, o senador Jayme Campos (DEM-MT) destaca que a oferta prioritária da educação infantil, inclusive das creches, é garantida na Constituição. Entre as ações federais, ele destaca o Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância).

“Apesar de muitas escolas terem sido concluídas com os recursos do Proinfância, os resultados foram aquém do planejado e hoje podem ser vistas em todo o país numerosas obras inacabadas e abandonadas por falta de recursos”, ressalta. Leia mais...

Fonte: Agência Senado

Um panorama da avaliação básica brasileira acaba de ser publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o Relatório Saeb 2017. O documento traz, em uma única edição, todos os aspectos relativos aos resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) 2017, o mais recente realizado no país, apresentando o desempenho dos estudantes em matemática e língua portuguesa, por etapa avaliada, com dados agrupados por unidade da Federação.

No relatório, pesquisadores e gestores educacionais podem consultar informações específicas de cada estado. A publicação articula informações do Censo Escolar da Educação Básica e do Saeb, além de outros indicadores produzidos pelo Inep.

Na segunda parte do estudo, estão descritos os instrumentos utilizados, as matrizes de referência e a metodologia de aplicação, além de exemplos de itens comentados. O relatório faz uma contextualização da avaliação, citando a adoção de vários instrumentos para aprimorar o Saeb. Entre eles, estão a adoção da Teoria de Resposta ao Item (TRI), em 1995; a expansão do Saeb em 2005, que passou a ter aplicações censitárias; e a instituição da Prova Brasil (Avaliação de Rendimento Escolar – Anresc), que permitiu a divulgação dos resultados de desempenho por cada escola e município participante.

A edição do Saeb 2017 contou com a participação de mais de 73 mil escolas e aproximadamente 5,4 milhões de estudantes de escolas públicas e privadas, que, pela primeira vez, tiveram uma amostra avaliada. O número corresponde a 68% dos matriculados no ensino fundamental e médio, de acordo com os dados do Censo da Educação Básica.

Para o Saeb 2019, o Inep traz mais inovações, como os questionários eletrônicos da pesquisa, que já foram enviados para quase 80 mil diretores de escolas e secretários de educação do país. Além disso, uma amostra de gestores de estabelecimentos da educação infantil também irão participar desta coleta de dados, uma ação inédita. Novos grupos de estudantes e áreas de conhecimento também passam a integrar o Saeb. A capacidade de ler e escrever será avaliada em uma amostra de alunos do 2º ano do ensino fundamental. Alguns estudantes do 9º ano farão os testes de ciências humanas e da natureza, além das provas de língua portuguesa e matemática.

A aplicação das provas do Saeb 2019 para mais de 7 milhões de alunos começa em 21 de outubro. Os resultados serão divulgados em 2020 e irão compor o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Saeb – O Sistema de Avaliação da Educação Básica é uma pesquisa de larga escala que permite a avaliação da qualidade da educação ofertada no país, bem como fornece insumos para a elaboração, o monitoramento e o aprimoramento das políticas educacionais. O Saeb é realizado a cada dois anos e é composto por testes cognitivos de língua portuguesa e matemática, que possibilitam aferir a proficiência nessas áreas, além de questionários para os estudantes, professores e diretores de escola.



Fonte: Inep

13/09/2019


O Professor Dr. Sílvio Fidelis, Dirigente Municipal de Educação de Várzea Grande, Presidente da Undime Seccional de Mato Grosso e da Regional Centro Oeste presente no 2º Encontro Nacional dos Presidentes e Vice Presidentes das Comissões de Educação das Assembléias Legislativas e, nesse ato representa o Presidente da UNDIME NACIONAL, Luiz Miguel Martins Garcia.



O Professor Dr. Sílvio Fidelis, Dirigente Municipal de Educação de Várzea Grande, Presidente dac Undime Seccional Mato Grosso e da Regional Centro Oeste presente no 2º Encontro Nacional dos Presidentes e Vice Presidentes das Comissões de Educação das Assembléias Legislativas realiza a entrega das Cartas com o posicionamento da UNDIME referente ao novo FUNDEB como mecanismo de financiamento para a garantia da qualidade da educação, Colaboracao e autonomia e a Carta do 17* Fórum Nacional dos Dirigentes Municipais da Educaçao a Deputada Professora Dorinha/ DEM-TO, em nome do Presidente da UNDIME NACIONAL, Luiz Miguel Garcia.





Neste mês, no dia 27 (sexta-feira), a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci) realizará a terceira edição do projeto ‘Jovens de Futuro’. Com a finalidade de inspirar a juventude com exemplos de força, coragem e dedicação, a ação conta com a participação de jovens empenhados em realizar os seus sonhos.

A transmissão será ao vivo pelo canal da Seciteci no YouTube a partir das 15h (horário de Mato Grosso) e terá 1h de duração. O evento terá quatro edições ao todo, sendo quem a última ocorrerá durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no mês de outubro.

A ação conta com a parceria das seguintes instituições:

Unicef, Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), Secretaria de Estado de Educação (Seduc), União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-MT), Associação para Desenvolvimento Social dos Municípios (APDM),  Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca-MT) e Federação Mato-grossense de Associações de Moradores de Bairros (Femab-MT).

Para assistir, basta se inscrever no Canal da Seciteci por meio do link https://www.youtube.com/channel/UCZASKdvkdZbfkAoCRbUafwg e acionar o “sininho” para receber as notificações. 

Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (65) 3613-0121 e 98113-2728.

Seguem abaixo os links das últimas edições do evento:

Jovens de Futuro I

Jovens de Futuro II


Contamos com sua colaboração para a divulgação do evento aos jovens de sua cidade. É importante divulgar exemplos positivos para incentivar crianças e adolescentes a conquistarem um futuro de oportunidades!

11/09/2019

Cuiabá sedia 2º Encontro Nacional de Presidentes e Vice Presidentes das Comissões de Educação.
image
Cuiabá sedia nos dias 13 e 14 de setembro o 2º Encontro Nacional de Presidentes e Vice-Presidentes das Comissões de Educação.  Na programação do evento, que contará com representantes políticos de vários estados federativos brasileiros, haverá o debate sobre a “Reforma Tributária e os Impactos na Educação”, e painéis para se tratar sobre o Plano Nacional de Educação, o novo Fundeb e a reforma da previdência. O início está marcado para às 7h30.
O público será estudantes, professores, presidentes de comissão de educação, autoridades políticas e interessados na pauta educacional.
Coordenam os trabalhos da comissão de educação da Assembleia de MT, os membros titulares deputados estaduais: Thiago Silva (presidente), Barranco (vice-presidente), Wilson Santos, Dr. João e Sebastião Rezende. O deputado estadual Thiago Silva (MDB), que é professor e o atual presidente da comissão de educação da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, esta liderando a organização do encontro.
“Tivemos a oportunidade de participar no 1º semestre deste mesmo Encontro Nacional em Florianópolis e tivemos a ideia de trazer este encontro da educação brasileira também para Mato Grosso, com a participação de representantes federais, e na ocasião realizaremos uma audiência pública e painéis de debate. Penso que a pauta do Fundeb tem que ser constitucional e deve permanecer para garantir o financiamento da educação e esse debate irá ocorrer”, disse o presidente da comissão de educação da AL-MT, deputado Thiago.
Além de deputados estaduais, prefeitos e membros da Comissão de Educação de Mato Grosso, estarão presentes no evento, deputado federal presidente da comissão de educação da câmara Pedro Cunha Lima, deputada estadual de São Paulo Prof. Bebel, deputada federal Rosa Neide, presidentes e vice-presidentes das Comissões de Educação de 11 estados e presidentes de Consórcios Intermunicipais de Desenvolvimento Econômico e Social.
Na sexta-feira dia 13, o evento ocorrerá nos dois períodos terminando às 18h e no sábado dia 14, o encerramento acontecerá ao meio-dia.
SERVIÇO
Evento: 2º Encontro Nacional de Presidentes e Vice-Presidentes das Comissões de Educação
Data: 13 e 14 de setembro
Horário: 8h às 18h (dia 13 – sexta-feira) 8h às 12h (dia 14 - sábado)
Local: Dia 13 no Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros e dia 14 na Associação Mato-grossense dos Municípios.
Fonte: contato@midiahoje.com.br
contato@midiahoje.com.br

As escolas participantes do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e as secretarias estaduais e municipais de educação recebem, nesta semana, o acesso aos questionários eletrônicos. Os questionários fazem parte do processo de avaliação da educação básica brasileira, mas o formato digital é uma inovação do Saeb 2019, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável por aplicar a avaliação no país.
O Inep enviará um link que permitirá o acesso aos questionários para os diretores das 73 mil escolas de educação básica dos 5.570 municípios brasileiros, para os 27 secretários estaduais de educação do país e para os secretários municipais. Uma amostra de diretores de escolas da educação infantil, que será avaliada pela primeira vez, nesta edição, também receberá o acesso para responder aos questionários, ainda como estudo-piloto. Além de responder ao questionário, os diretores serão orientados a solicitar que os professores dessas escolas também o respondam. Para estudantes e professores do 5º e do 9º ano do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio, continuam os questionários em papel. Leia mais...


Começaram nesta segunda-feira, 9 de setembro, as inscrições para a 2ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) para estudantes do 4º e 5º anos do ensino fundamental matriculados em escolas municipais, estaduais e federais. Alunos matriculados em outras modalidades, como educação de jovens e adultos (EJA), estão aptos a participar desde que sua série escolar corresponda ao 4º ou 5º ano do Ensino Fundamental.

Gratuitas, as inscrições devem ser feitas em nome das escolas por meio das secretarias de Educação — municipais ou estaduais — ou pelos representantes das escolas federais até 10 de outubro. Leia o regulamento aqui.  Leia mais


A Secretaria de Modalidade Especializadas de Educação (Semesp), do Ministério da Educação (MEC), em colaboração com a Comissão Nacional de Educação Escolar Indígena (Cneei), realiza no dia 18 de setembro, audiência pública para elaboração do 1º Plano Nacional de Educação Escolar Indígena (PNEEI), em Belém (PA). Essa é a 5ª audiência para discutir o tema.

O Plano Nacional será pautado de acordo com as deliberações da II Conferência Nacional de Educação Escolar Indígena (II Coneei), realizada em março de 2018, e os Planos de Educação dos respectivos estados.

O objetivo geral da realização das audiência públicas é construir, coletivamente, o 1º Plano Nacional de Educação Escolar Indígena, com ampla participação dos sistemas de ensino, dos povos e organizações indígenas. Segundo o MEC, o Plano está sendo estruturado em eixos, com o intuito de possibilitar melhores debates e resultados. Leia mais...

10/09/2019

As iniciativas de qualidade realizadas por sua secretaria de educação podem ser valorizadas e divulgadas, você não acha?
Esta é a sua vez: mobilize a equipe e faça a inscrição para a 4ª Ação de Reconhecimento do Conviva. O prazo termina dia 20 de setembro! *FALTAM 10 DIAS!* 
🥁 Para participar, identifique uma ação realizada com apoio do Conviva que tenha mostrado bons resultados, leia a ficha de inscrição e organize as informações necessárias: http://bit.ly/2zgMJOa 
🥇Assista aos vídeos com três finalistas da última Ação de Reconhecimento que mostram a importância de um processo como esse: http://bit.ly/2m9CW6P

Nesta terça (9) e quarta-feira (10) a Undime marcou presença no 1º encontro da Frente de trabalho intitulada Base Nacional da Profissão Docente.  O evento aconteceu em Brasília e teve por objetivo iniciar o processo de construção de uma proposta de Base Comum para os professores. 
O documento será elaborado por representantes do Conselho Nacional de Secretários (Consed), Undime e Ministério da Educação (MEC). 
Na nova frente, a Undime está representada por dirigentes das cinco regiões do País. Pelo Norte, a professora Jemima Gertrudes Barreira Cavalcante, Dirigente Municipal de Educação (DME) de Ponte Alta do Tocantins (TO); pelo Nordeste, a Ana Dayse Rezende Dorea, DME de Maceió (AL); Paulo Madson Vieira da Silva, DME de Santa Rita do Trivelato (MT), pela região Centro-Oeste; pelo Sudeste, Luiz Miguel Garcia, DME de Sud Mennucci (SP); e Sônia Regina Victorino Fachini, DME de Joinville (SC), representou o Sul.
Em dezembro de 2018, o MEC chegou a apresentar uma proposta da Base Nacional Comum da Formação de professores da educação básica. O documento foi enviado para análise do Conselho Nacional de Educação (CNE). A proposta agora é utilizar esse e outros documentos como referência para a construção de um texto para a Base da Formação Docente.
Luiz Miguel, que também é presidente da Undime São Paulo, contou que a proposta do grupo de trabalho é realizar, inicialmente, escutas de professores tidos como referência para identificar pontos comuns desses profissionais, criar um perfil deles e, a partir daí, construir uma primeira versão da Base. “A ideia é que esse documento seja amplamente divulgado e que possamos discuti-lo em audiências públicas”, disse.
Esse foi o primeiro encontro do grupo. A próxima reunião está marcada para setembro e a intenção é que até o fim do ano o grupo apresente um documento piloto.
“As discussões foram excelentes durante esses dois dias”, avaliou Sônia Regina, DME de Joinville (SC). Para ela, o grande saldo é que “nesse regime de colaboração que estamos pensando a construção da Base Docente, podemos perceber a sensação de pertencimento de todos nós nessa ação coletiva”. 
Para a secretária de Educação do Estado de Roraima e coordenadora da frente, representando o Consed, Leila Perussolo, a expectativa do documento é mostrar a real necessidade dos professores. “É preciso atender a formação continuada das nossas escolas e ter como foco a aprendizagem dos nossos alunos”. 
Apoiadora técnica da nova frente de trabalho, a líder do movimento Profissão Docente, Carolina Tavares, destacou que o documento deve apresentar os desafios que os professores podem enfrentar no século 21, principalmente com a implementação da Base Nacional Comum Curricular, aprovada em 2017/18. “Estamos muito empolgados com o produto que pode vir desse trabalho que está sendo realizado por um grupo maravilhoso”, disse.