UNDIME/MT

29/11/2018

Presidente da Undime/MT Silvio A. Fidelis visita a Regional Leste I e vários municípios contemplando o calendário de ações da instituição para o ano de 2018.





O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), por meio da Diretoria de Estudos Educacionais (Dired), promove o seminário de lançamento dos cadernos de Estudos e Pesquisas em Políticas Educacionais nesta sexta-feira, 30 de novembro, das 9h30 às 16h30, na sede do Inep, em Brasília-DF. Os Cadernos são destinados à disseminação de estudos e pesquisas voltados à análise, monitoramento e avaliação de políticas públicas, programas e planos de educação.

Nesta primeira edição, serão apresentados estudos e pesquisas produzidos no biênio 2017-2018 que examinam temas e questões relevantes relacionados ao sistema educacional brasileiro, às políticas públicas em educação e ao Plano Nacional de Educação (PNE), 2014 a 2024. A educação especial no Brasil; a trajetória escolar, aprendizagem e desigualdade no ensino fundamental no Brasil; o perfil do professor da educação básica, o panorama de dados e indicadores para o monitoramento da Lei de cotas e a produção de indicadores para o monitoramento de metas do PNE estão entre os temas que serão discutidos durante o encontro.

Clique aqui para acessar a programação completa do seminário.

Dezessete estados brasileiros já entregaram os currículos alinhados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC). As indicações é de que as redes possam capacitar os profissionais das escolas antes que o currículo chegue nos estabelecimentos de ensino. No entanto, algumas adaptações já devem ter início e é possível que alguns estados comecem o ano letivo de 2019 já com o novo currículo. “As escolas já serão estimuladas a fazer mudanças no projeto político-pedagógico e trabalhos de orientação curricular no ano que vem”, diz Marcelo Ferreira da Costa, secretário municipal de Educação de Goiânia (GO) e presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) Centro-Oeste. leia mais...

A Undime participou na noite de terça-feira (27), em Brasília (DF), da cerimônia de abertura do Curso de Especialização em Estatísticas e Avaliação Educacional. Na oportunidade, a instituição foi representada pelo professor Luiz Miguel Garcia, Dirigente Municipal de Educação de Sud Mennucci/ SP, presidente da Undime/ SP e suplente da presidência da Undime Região Sudeste.

O curso, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora CAEd /UFJF, tem como o objetivo de qualificar e instrumentalizar técnicos das redes públicas de ensino para o conhecimento dos principais indicadores educacionais construídos a partir das estatísticas e das avaliações da educação básica.
Ao todo, foram oferecidas 350 vagas, destinadas a professores e técnicos das redes estaduais e municipais de ensino.



Terminou na manhã desta sexta-feira (23), em Brasília (DF), a terceira edição da Conferência Nacional de Educação (Conae). O encerramento do evento foi marcado pela apresentação das propostas aprovadas por mais de 50% dos participantes das oito Plenárias de Eixos ao longo da última quinta-feira (22), por manifestações contrárias ao Projeto do Escola Sem Partido (PL 7.180/14) e à metodologia adotada pela organização da Conferência. O último dia da Conferência contou com a participação de mais de mil pessoas, sendo 657 delegados. leia mais...

A Undime esteve presente, nesta terça-feira (27), no lançamento oficial do Programa Escola do Adolescente, realizado pelo Ministério da Educação (MEC), em Brasília (DF).

Representando a instituição, o Dirigente Municipal de Educação de Elísio Medrado/ BA e Presidente da Undime/ BA, Williams Panfile Brandão, integrou a mesa formada pelo Ministro da Educação, Rossieli Soares, pelo Secretário Executivo do MEC, Henrique Sartori, pela Secretária de Educação Básica (SEB/ MEC), Kátia Smole e pelo porta-voz do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Helio Daher. leia mais...

A partir da próxima segunda-feira (26), escolas que aderiram ao Programa Mais Alfabetização (PMAlfa) ao longo de 2018 poderão confirmar sua participação para o segundo ciclo da iniciativa. Com previsão de mais oito meses de execução em 2019, a abertura do prazo se dará a todas as redes de ensino que atenderem as premissas para continuidade no Programa.

Em Ofício divulgado na última semana, o Ministério da Educação (MEC) apontou como condições necessárias o registro de informações no sistema de monitoramento e orientação pedagógica. No mesmo documento, a pasta informa que os recursos financeiros serão liberados às unidades escolares que possuírem ao menos uma turma, com no mínimo dez matrículas no 1º ano ou 2º ano do ensino fundamental, e que os repasses financeiros serão transferidos às unidades executoras que representam apenas uma unidade escolar, à exceção das escolas consorciadas.

De acordo com as regras, a validação da adesão para o ciclo 2019 ocorrerá em duas etapas. A confirmação pelas redes ocorrerá entre os dias 26 de novembro e 14 de dezembro deste ano. Posteriormente, entre os dias 3 e 14 de dezembro, terá início o prazo para validação das respectivas unidades escolares.

Para realizar o aceite de participação, dirigentes e gestores deverão acessar o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE-Interativo) e, a partir dele, o Portal do PMAlfa, na aba reservada à confirmação da participação.

O período para adesão de novas escolas ocorrerá posteriormente e ainda será informado Ministério.

Em nota, o MEC reforçou o pedido de atenção aos prazos estipulados, a fim de evitar atrasos e dificuldades na confirmação de adesão por parte das escolas.

Em caso de dúvidas de acesso ao PDDE-Interativo, as redes e as escolas poderão enviar e-mail para o endereço eletrônico maisalfabetizacao@mec.gov.br ou entrar em contato pelos telefones (61) 2022-9307, (61) 2022-2228, (61) 2022-2198, (61) 2022-7499.

O PMAlfa

O PMAlfa foi criado por meio da Portaria n º 142, de 22 de fevereiro de 2018, e é uma estratégia do MEC que visa fortalecer e apoiar as unidades escolares no processo de alfabetização dos estudantes regularmente matriculados no primeiro ano e no segundo ano do Ensino Fundamental, cumprindo critérios já estabelecidos na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

O programa realiza avaliações de fluência em leitura, escrita e matemática para promover o fortalecimento da gestão das secretarias de educação, das unidades escolares e do monitoramento do processo de aprendizagem.

Fonte: Undime com informações do MEC

O Relatório de Monitoramento Global da Educação 2019 (GEM 2019), divulgado na quarta-feira (19) na Alemanha pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), mostra que quanto mais pobre é o país, geralmente maior é a contribuição das famílias na educação. 

Na média global, as famílias ficam com um quinto da conta dos gastos em educação. Mas, em alguns países, particularmente os mais pobres, como El Salvador, os gastos das famílias chegam a 50% do total do custo da educação.

Segundo o GEM 2019, os governos respondem por 79% do total de gastos com educação no mundo, enquanto as famílias contribuem com 21%, em média. Dados do Instituto de Estatísticas da Unesco mostram que a contribuição de famílias com a educação em Uganda equivale a 3,9% do produto interno bruto (PIB- soma de todos os bens e serviços produzidos no país) e representa 63% do total de gastos com educação no país, enquanto nos países ricos a contribuição das famílias é, em média, menor que 1% do PIB.

Exclusão sistema educacional

Por meio de comunicado a imprensa, o diretor do relatório, Manos Antoninis, disse que na medida em que se torna necessário contar com o orçamento das famílias para pagar a conta da educação, a chance de que pessoas sejam excluídas do sistema educacional aumenta.

“As famílias estão cobrindo os custos de itens previsíveis todos os dias, como livros didáticos, suprimentos ou transporte, mas, nos países mais pobres, onde os sistemas de educação pública são mais fracos, as famílias também podem estar pagando taxas informais, mensalidades de escolas particulares ou mensalidades privadas suplementares. Isso pode ter consequências graves sobre a forma como a educação é oferecida a todos”, disse.

Gastos anuais

De acordo com o relatório, 0,5% do gasto anual global em educação ocorre nos países mais pobres do mundo. Segundo o levantamento, os gastos com educação de governos, famílias e doadores somam US$ 4,7 trilhões em todo o mundo. 

Desse total, US$ 3 trilhões (65%) são investidos em países de alta renda e US$ 22 bilhões em países de baixa renda, embora os dois grupos de países analisados tenham praticamente o mesmo número de crianças em idade escolar.


Na manhã desta quinta-feira (22), o presidente da Undime integrou a mesa de especialistas de um dos colóquios programados para a Conferência Nacional de Educação (Conae 2018), que acontece em Brasília (DF).
Convidado do evento, o presidente da Undime e membro do Fórum Nacional de Educação, Alessio Costa Lima, atuou como moderador do encontro que debateu os planos decenais e o Sistema Nacional de Educação: qualidade, avaliação e regulação das políticas educacionais. O dirigente esteve acompanhado pela doutora em Sociologia e titular nos cursos de Direito e Administração da Faculdade Farias Brito, Lídia Pimentel e pela presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Inês Fini. leia mais...

O Presidente da Undime e Dirigente Municipal de Educação de Alto Santo/ CE, Alessio Costa Lima, mediou, na tarde desta quarta-feira (21), em Brasília (DF), um dos debates que marcaram o primeiro dia de programação da Conferência Nacional de Educação (Conae 2018).

No comando da mesa 2, Alessio auxiliou o debate a respeito da articulação entre os sistemas de ensino, regime de colaboração e efetivação das diretrizes, metas e estratégias do Plano Nacional de Educação (PNE). O dirigente da Undime foi acompanhado pela presidente do Conselho Estadual de Educação do Mato Grosso do Sul, Eva Katayama, pelo presidente do Comitê de Educação do Instituto Rui Barbosa (IRB), Cezar Miola, e pelo professor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas, Luiz Fernando Abrucio. leia mais...
O Observatório do PNE (OPNE) faz o pré-lançamento da nova versão do site de acompanhamento do Plano Nacional de Educação na quarta-feira (21), durante a Conferência Nacional de Educação (Conae) 2018. A nova interface pretende facilitar o acompanhamento do cumprimento do plano, que tem 20 metas para a Educação Brasileira e foi instituído por Lei em 2014, com vigência até 2024. leia mais...

21/11/2018


Quase 4 milhões de crianças brasileiras estão matriculadas em pré-escolas públicas, o equivalente a 76,8% do universo total, segundo o Censo Escolar de 2017. A maioria dessas escolas não possui itens considerados básicos para o desenvolvimento da criança nessa faixa etária como parquinho, área verde para atividades ao ar livre, pátio coberto, banheiros infantis, além de condições adequadas de acessibilidade.

Só 28% das escolas mantidas pelos municípios desfrutam de parquinho, e 25% de área verde. O pátio coberto é realidade em 40% das pré-escolas públicas. Os dados compõem o Censo Escolar de 2017 e foram tabulados pelo movimento Todos pela Educação (veja mais dados abaixo). leia mais...

Já estão disponíveis para consulta as devolutivas pedagógicas da avaliação diagnóstica do Programa Novo Mais Educação (PNME). Agrupados em Alfabetização (2º e 3º anos), Letramento I (4º, 5º, 6º anos) e Letramento II (7º, 8º e 9º ano), os dados podem ser acessados pelos participantes do Programa, a partir do sistema de monitoramento e orientação pedagógica. 

Importante instrumento de análise dos resultados, as devolutivas são consideradas ferramentas essenciais para o planejamento de ações em escolas, especialmente aos alunos com maiores dificuldades em português e matemática. leia mais...

A Brittanica Escola, projeto parceiro da Capes, realizará mais cinco capacitações online durante o mês de novembro. Entre os dias 26 e 30 deste mês serão cinco sessões desenvolvidas sobre práticas de sala de aula com base na Base Nacional Comum Curricular e Aluno Pesquisador no Ensino Fundamental.

A Britannica Escola disponibiliza recursos digitais para o ensino fundamental. Os cursos são gratuitos e permitem que os participantes tirem dúvidas e aprendam a ter melhor aproveitamento das ferramentas digitais. Em outubro, 54 professores participaram da capacitação online. leia mais...

As palestras e conteúdos do “Ciclo de Debates em Gestão Educacional: A formação de professores no contexto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”, realizado em maio na cidade de São Paulo, estão sistematizados em uma revista digital. O material é gratuito e pode ser acessado aqui.

O tema central do evento, realizado pelo Itaú Social em parceria com o Instituto Ayrton Senna, foi a formação inicial e continuada de professores sob a perspectiva da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, homologada em dezembro de 2017. Para isso, especialistas nacionais e internacionais debateram iniciativas que já estão em andamento e experiências que podem inspirar a implementação da BNCC no Brasil. leia mais...

O Ministério Público Federal (MPF) quer por fim a ações arbitrárias contra professores. De acordo com o órgão, procuradores dos Direitos do Cidadão nas cinco regiões do Brasil instauraram procedimentos administrativos para acompanhar práticas que possam representar assédio moral ou outras formas de ação arbitrária contra professores. 

O MPF diz que foram expedidas recomendações a pelo menos 24 instituições públicas de educação básica e superior com pedido para que se abstenham de qualquer atuação abusiva em relação a docentes. Recentemente, apoiadores do movimento Escola sem Partido têm incentivado gravações e denúncias de professores em sala de aula.

Além de advertir para que não atuem de forma arbitrária junto a seus docentes, as recomendações expedidas pelo Ministério Público Federal pedem que essas instituições adotem as medidas cabíveis e necessárias para que não haja qualquer forma de assédio moral em face desses profissionais – seja por parte de servidores, estudantes, familiares ou responsáveis. leia mais...

A partir desta quarta-feira (21), representantes da Undime estarão presentes na Conferência Nacional de Educação (Conae 2018), evento que materializa a participação da sociedade para a melhoria da Educação do país. Até a sexta-feira (23), delegados estaduais se revezarão entre mesas-redondas, colóquios e plenárias programadas para a terceira edição do encontro, sediado em Brasília (DF), a fim de projetar e defender demandas dos municípios brasileiros.

Em 2018, a Conae terá como pontos centrais a reavaliação das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) e o debate acerca da consolidação do Sistema Nacional de Educação (SNE). Também estarão na pauta assuntos como o regime de colaboração, a regulação das políticas educacionais e a importância da participação popular e do controle social. Ainda abordarão questões relacionadas à gestão, aos direitos humanos, a articulação de políticas intersetoriais, além da valorização dos profissionais da Educação e o financiamento da educação. leia mais...

12/11/2018


O fortalecimento da parceria entre a Undime e a Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e do Adolescente vai permitir a análise de proposições legislativas na área da educação em andamento na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Em reunião realizada na tarde da última terça-feira (6), em Brasília (DF), o Dirigente Municipal de Educação de Alto Santo/ CE e Presidente da Undime, Alessio Costa Lima alinhou com a Administradora Executiva da Fundação, Heloísa Oliveira, um possível fluxo de trabalho conjunto para acompanhamento das propostas que vêm sendo discutidas na Agenda das duas Casas Legislativas, de modo a permitir a aproximação das análises das instituições e a defesa da política educacional voltada à infância do país. leia mais...

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou até 16 de novembro o prazo final para que municípios concluam o procedimento de adesão das redes ao Programa Escola Acessível, e até 23 de novembro, o prazo que estes concluam a elaboração do Plano de Atendimento pelas escolas. O processo de adesão deverá ser realizado via Sistema Integrado de Monitoramento Execução e Controle (Simec) e o Plano, a partir do Sistema do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE Interativo). leia mais...

A TV Escola disponibilizou matéria em que faz o balanço do III Seminário Nacional de Educação Conectada, realizado em Fortaleza (CE), durante os últimos dias 30 e 31 de outubro. Após um ano do lançamento do Programa Escola Conectada, a terceira edição do encontro promoveu uma série de atividades entre articuladores que aderiram à iniciativa, como forma de apoio às escolas que atuam na implementação do projeto em escolas brasileiras.

Além de expor as conquistas desde a criação, o intuito do Seminário foi promover a troca de experiências entre agentes responsáveis pela indução do programa em todo o país.

“É muito importante que vocês tragam as contribuições, porque vocês são a ponta e nos permitem entender o que funciona e o que não funciona”, apontou Rossieli Soares, ministro da Educação, durante a abertura do evento.

Para assistir ao vídeo na íntegra, clique neste link.

O Programa

O Programa de Inovação Educação Conectada, instituído pelo Decreto n° 9.204, de 23 de novembro de 2017, tem por objetivos apoiar a universalização do acesso à Internet em alta velocidade e fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica. A implementação do programa está prevista para acontecer até 2024, de maneira a contemplar, gradualmente, escolas urbanas e rurais em três fases: Indução, Expansão e Sustentabilidade.

O III Seminário Nacional de Educação Conectada foi promovido paralelamente ao VII Congresso Brasileiro de Informática da Educação (CBIE), que reuniu mais de 600 participantes interessados em discutir, compartilhar e divulgar suas atividades e experiências no âmbito das tecnologias na educação entre os dias 29 de outubro e 1º de novembro.

Os dados mais recentes do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), referentes à aplicação de 2017, já estão disponíveis no Painel Educacional, plataforma do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) que agrega várias informações sobre o cenário educacional. Além dos resultados do Saeb, também foram disponibilizados no Painel os dados do Censo Escolar, com as estatísticas da Educação Básica brasileira do mesmo ano.

O Painel Educacional apresenta informações sobre o desempenho dos estudantes, por meio dos testes do Saeb, e outros dados coletados por meio dos questionários do Saeb. Os resultados são referentes às avaliações aplicadas aos Anos Inicias e Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio. Outro destaque da plataforma é o Painel Série Histórica, que disponibiliza informações sobre as médias e resultados por nível de proficiência das redes estaduais e municipais. leia mais...

Muito tempo gasto em jogos, smartphones e televisão está associado a níveis elevados e a diagnósticos de ansiedade ou depressão em crianças a partir dos 2 anos de idade, de acordo com um novo estudo. Mesmo depois de apenas uma hora de tela diariamente, crianças e adolescentes podem começar a ter menos curiosidade, menor autocontrole, menos estabilidade emocional e maior incapacidade de terminar tarefas, relata Jean Twenge, psicólogo da Universidade Estadual de San Diego e Keith Campbell, professor de psicologia da Universidade da Geórgia. 

Os resultados de Twenge e Campbell foram publicados em um artigo, "Associações entre tempo de tela e menor bem-estar psicológico entre crianças e adolescentes: evidências de um estudo de base populacional", publicado este mês na revista cientifíca "Preventative Medicine Reports". leia mais...

O Itaú Social, em parceria com a Fundação Carlos Chagas (FCC), abrem o edital “Os Anos Finais do Ensino Fundamental: Adolescências, Qualidade e Equidade na Escola Pública” para financiar pesquisas aplicadas que apontem recomendações para a superação dos desafios da etapa de escolarização do 6º ao 9º ano. Pesquisadores, escolas públicas, redes de ensino e organizações da sociedade civil (OSCs) são convidados a investigar este ciclo, promovendo a interação entre a academia e a realidade escolar. O edital pode ser acessado aqui. As inscrições estão abertas de 30 de outubro a 09 de dezembro.

O edital destinará recursos para o financiamento de até 14 projetos. Os que forem submetidos nas modalidades 1 e 2 (mais informações abaixo, em “Resumo do Edital”) terão prazo de realização de 18 meses e receberão R$ 100 mil. Na modalidade 3, os projetos têm duração de dois anos e receberão o valor de R$ 150 mil por ano. leia mais...

Para auxiliar gestores de redes e escolas, a Nova Escola lançou um e-book gratuito sobre a implementação da Base Nacional Comum Curricular. Considerando os desafios de implementação da Base, o material de apoio reúne exemplos, sugestões de organização do tempo, próximas etapas da BNCC e dicas de como engajar e apoiar os professores nesta mudança.

Até 2020, a Base deverá ser implementada em todas as escolas do país. O gestor educacional, nesse processo, terá desafios importantes pela frente. Por isso, o e-book traz entrevistas com especialistas e gestores, um cronograma de próximos passos da Base, que você pode baixar e imprimir, material de apoio para a formação de professores sobre as Competências Gerais e uma pauta formativa para reunião pedagógica. leia mais...

Os primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento de uma criança. De acordo com pesquisas científicas, o período de 0 a 3 anos é tão decisivo para a estruturação física, intelectual e emocional que gera impacto ao longo de toda a vida. Com um desenvolvimento integral saudável, as crianças têm maior facilidade para se adaptarem a diferentes ambientes e adquirirem novos conhecimentos.
“A primeira infância é a base para tudo o que vai ser construído posteriormente. Se não estiver bem alicerçada, essa estrutura terá rupturas que vão ocasionar problemas na aprendizagem”, explica a especialista em neuroaprendizagem Ana Lúcia Hennemann, professora convidada da Censupeg (Centro Sul-Brasileiro de Pesquisa, Extensão e Pós-Graduação) e acadêmica na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul). De acordo com ela, nessa etapa a criança deve receber diferentes estímulos, como o brincar, a manipulação de objetos com diferentes texturas e cores, a discriminação auditiva e as interações sociais. leia mais...

Educação está em alta. Segundo uma pesquisa recente do Datafolha feita com mais de duas mil pessoas de 129 municípios do Brasil, 80% dos brasileiros afirmam ter muito interesse em reportagens e notícias sobre o tema. No ranking dos interesses da população, pertecentes a todas as classes sociais, o assunto ficou a frente de saúde (78%), cultura (54%) e economia (45%). Ao mesmo tempo, nem sempre fica claro para o público o significado dos termos sobre educação. leia mais...


Veja os exemplos de como municípios do Brasil estão construindo currículos e formando professores. Itabaianinha em Sergipe aponta como está construindo currículo e formando professores para adequar-se à Base Nacional Comum Curricular-BNCC.