UNDIME/MT

31/08/2018

Seminário discute formas de reverter desigualdade e evasão nas escolas brasileiras

   


O município de Várzea Grande e o estado de Mato Grosso estiveram representados pelo secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, professor Silvio Fidelis, que também é presidente da Seccional da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação em Mato Grosso – Undime, no Seminário “Promoção de Trajetórias de Sucesso Escolar”, realizado pelo UNICEF e Ministério da Educação, em parceria com a Samsung, nos dias 29 e 30 de agosto em Brasília (DF). 

Na pauta, os desafios e oportunidades no enfrentamento da distorção da idade-série; formas de reverter a evasão escolar de mais de 2,8 milhões de crianças e adolescentes brasileiros; a gestão da escola e a articulação com o território, a relação escola-família-comunidade; e a apresentação de experiências pedagógicas de sucesso escolar no Brasil. 

Ao lado da Secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, Kátia Smole, do Presidente da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme), Manoel Humberto Gonzaga Lima, do Secretário de Educação do Distrito Federal e representante do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Júlio Gregório, da gerente de Cidadania Corporativa da Samsung Brasil, Isabel Costa; da representante do UNICEF no Brasil, Florence Bauer e da presidente do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), Vanda Anselmo, Silvio Fidelis representou também a direção nacional da Undime no evento. 

Falando em nome do Presidente da Undime, Alessio Costa Lima, Silvio Fidélis destacou a importância da parceria com entidades para promover a melhoria da qualidade educacional do país. “Em um país tão grande, com tantas dificuldades sociais e econômicas, a busca por educação e pelo trabalho social é capaz de fazer a diferença. Temos que amar, temos que cuidar, temos que acreditar”. O secretário citou como exemplo de alternativa para reduzir a evasão escolar o Programa Escola em Tempo Ampliado – ETA, que foi instituído pela atual gestão municipal, com atividades no contra turno escolar de letramento, aulas de reforço, de música, teatro, dança, trabalhos manuais e de práticas esportivas, que têm alcançado resultados positivos na melhoria da qualidade de ensino em Várzea Grande. 


Panorama 

A abertura do Seminário também foi marcada pela apresentação do Mapa da Distorção Idade-Série feita pela Oficial de Projetos do UNICEF, Julia Ribeiro. O documento, elaborado com base nos dados do Censo Escolar 2017, aponta que 7 milhões de crianças e adolescentes se encontram em situação de defasagem escolar na educação básica, com percentuais de desigualdades bastante distintos entre regiões e estados, sendo o Norte e Nordeste as regiões com as taxas mais altas de distorção. 



O relatório ainda indica que alunos de áreas de assentamentos, quilombolas e indígenas são também os mais afetados pelo descompasso entre aprendizagem e analisa como questões de cor, gênero, raça e deficiência afetam a qualidade do que estudantes apreendem nas escolas. Além da educação básica, o Mapa mostra a situação de alunos do Ensino Fundamental nos Anos Iniciais e Finais, e do Ensino Médio. 

Regime de Colaboração 

A Dirigente Municipal de Educação de Bonito/ PE, Presidente da Undime/ PE e Presidente da Undime Região Nordeste, Maria Elza Silva foi uma das convidadas do Painel debateu “A gestão das redes públicas no município: Regime de Colaboração, Articulação Intersetorial e Regulação – Desafios e oportunidades no enfrentamento da distorção idade-série”. Tratando sobre Gestão das redes públicas e regulação, Maria Elza dividiu impressões com representantes do MEC, Uncme, Secretaria de Educação do Estado do Ceará, Congemas e estudantes dos estados do Rio de Janeiro e Amazonas. 

Em sua fala, Elza frisou que os entes federados devem garantir o direito à educação de todos e todas, com acesso, permanência e aprendizagem. “Para tanto, é necessário entender que as redes não podem estar distanciadas – União, Estados e Municípios precisam dialogar”, afirmou. “Como podemos melhorar uma trajetória escolar quando o regime de colaboração, que deveria estar regulamentado há algum tempo, ainda não foi instituído? Como podemos melhorar a trajetória considerando a má distribuição do bolo tributário? A crise econômica não pode ser usada como justificativa para o que se deixar de fazer”, questionou. 

Plataforma Digital 

Lançada pelo Unicef em parceria com o Aprendiz e apoio da Samsung no último dia 17 de agosto, a plataforma Trajetórias de Sucesso Escolar é uma ferramenta digital que busca auxiliar municípios brasileiros a reverter os índices de distorção idade-série em escolas da rede pública do país. O anúncio da metodologia foi feito durante o 7º Fórum Nacional Extraordinário dos Dirigentes Municipais de Educação (7º FNEx), em Recife (PE). 

Fundamentada no Regime de Colaboração entre Estados e Municípios, a proposta do Trajetórias é constituir uma grande rede de superação do fracasso escolar e enfrentamento da distorção idade-série em uma plataforma digital que disponibiliza um mapa com dados de escolaridade dos ensinos médio e fundamental. Buscando o fortalecimento da política no território nacional, a ferramenta pretende identificar boas práticas na área e fomentar ações a partir do planejamento, diagnóstico do acompanhamento e avaliação de alunos, em parceria com a sociedade civil, e o desenvolvimento de medidas de sensibilização de estudantes e professores.