UNDIME/MT

23/02/2015


CONVOCAÇÃO

A Diretoria Executiva da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso- UNDIME MT, a qual se situa na Av. Historiador Rubens de Mendonça nº 3.920, Bairro Morada do Ouro, CEP 78.050-902 em Cuiabá, através de seu Presidente Gilberto Gomes de Figueiredo, CONVOCA aos Membros Efetivos para o 12º Fórum Estadual Ordinário, conforme estabelece o Estatuto da Entidade, Capitulo VI, Seção I, artigos 28 a 34 e seus respectivos incisos e parágrafos, a realizar-se nos dias 30, 31 de março e 01 de Abril de 2015, a realizar se em Cuiabá no Hotel Fazenda Mato Grosso, situada na Rua Antonio Dorileo nº 1100, Bairro Coophema, Cuiabá MT.


Cuiabá - MT, 24 de Fevereiro de 2015.
Este ano, o Ministério da Educação anunciou uma atualização de 13,01% no piso salarial nacional do magistério. Com isso, o vencimento inicial da categoria passa de R$ 1.697,39 para R$ 1.917,78 em todo o país.
Mas como é calculado o valor do piso? O que fazer se municípios ou estados não pagarem o valor? Pensando nessas e em outras questões recorrentes sobre o tema, o Portal EBC preparou uma série de perguntas e respostas para ajudar você a entender o que é e como funciona o piso salarial nacional do magistério. Confira:

1. O que é o piso salarial do magistério?

O piso salarial profissional para os profissionais do magistério público da educação básica é o valor mínimo que os professores em início de carreira devem receber. A regra vale para todo o país. Esses profissionais devem ter formação em magistério em nível médio (ou antigo curso normal) e carga horária de trabalho de 40h semanais, e atuar em estabelecimentos públicos de ensino na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio, em todo o país. leia mais...
As escolas públicas brasileiras contam com uma ferramenta para compreender melhor seus resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). A partir desta sexta-feira, está disponível na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) um novo painel, desenvolvido para contextualizar os desempenhos das escolas.

Além dos resultados do Ideb, divulgados ao longo das cinco edições do indicador, os interessados podem conferir informações coletadas pelo Censo Escolar da Educação Básica e novos indicadores criados pelo Inep. O objetivo é explicitar às escolas o contexto social em que estão inseridas e mostrar que, independentemente das condições do alunado, é possível ter bons desempenhos, apesar de os esforços para isso serem muito diferentes.

O presidente do Inep, Chico Soares, explica que o painel apresenta o Ideb, o mais importante indicador da educação básica brasileira, em um contexto social. “Ele vai mostrar às escolas que há experiências de sucesso em qualquer tipo de condição. Ou seja, a escola pode transformar a realidade do aluno e não apenas reproduzir as suas limitações ou vantagens sociais”, justifica.

O portal é destinado às escolas públicas que tiveram divulgação de resultados na última edição do Ideb (2013).

Indicadores – Cada escola pode conferir sua situação em relação a quatro novos indicadores criados pelo Inep: de nível socioeconômico (Inse), de adequação da formação docente; de esforço docente, e de complexidade da gestão escolar. leia mais...
Ao todo, 423 mil participantes do Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa receberão as parcelas de suas bolsas nos próximos dias, movimentando um total de R$ 173 milhões, liberados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
As bolsas são um eixo importante de ambos os programas, que permitem aos educadores participar de programas de formação continuada. Segundo Idilvan Alencar, presidente do FNDE, “os programas são estratégicos para o Brasil, e as bolsas fazem muita diferença para os profissionais do dia-a-dia da educação”.
O Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio representa a articulação e a coordenação de ações e estratégias entre a União e os governos estaduais e distrital na formulação e implantação de políticas para elevar o padrão de qualidade do Ensino Médio brasileiro, em suas diferentes modalidades, orientado pela perspectiva de inclusão de todos que a ele tem direito.
Já o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelos governos federal, do Distrito Federal, dos estados e municípios de assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao final do 3º ano do ensino fundamental. leia mais...

05/02/2015


03/02/2015

As reformas educacionais também são pauta dos países da OCDE. Um estudo divulgado nesta segunda analisa mais de 450 iniciativas implementadas por 34 países que tem como objetivo aperfeiçoar os sistemas. Embora os caminhos adotados digam da realidade de cada localidade, esses sugerem estratégias essenciais na busca por uma educação mais equânime.
As práticas consideram diretrizes sobre as quais as políticas brasileiras também querem se assentar. 29% delas têm como objetivo preparar os estudantes tanto para o mercado de trabalho como para continuar seus estudos; prever melhorias nos ambientes escolares, com atenção especial a reformas curriculares. A formação de professores também aparece entre as prioridades, bem como garantir qualidade e equidade educacional, qualificar os sistemas de avaliação, promover reformas no financiamento e garantir estratégias de governança nacional da educação. leia mais...
Escolas com boa infraestrutura, programas de incentivo à leitura, projetos de inclusão e professores capacitados garantem a grande procura por vagas na rede municipal de ensino de Sertãozinho, a 305 km de São Paulo capital. As ações diversificadas garantiram a qualidade da educação no município de 118 mil habitantes, como mostram seus bons indicadores educacionais. De 2005 a 2013, por exemplo, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) avançou de 4,9 para 6,4. A rede também se destaca pela equidade: a distância entre a melhor e a pior escola de Sertãozinho é de apenas 1,8 pontos. Além disso, as escolas municipais de ensino fundamental Anacleto Cruz e Professor José Negri ficaram entre as dez melhores do Estado de São Paulo, conquista comemorada por professores e alunos. leia mais...
Professor de história em escolas das redes estaduais de educação de Minas Gerais e do Rio de Janeiro, Rodolfo Alves Pereira criou um blogue e um aplicativo para incentivar a leitura de textos históricos pelos alunos. Ele garante que os estudantes ganharam habilidade na leitura, capacidade de articular ideias e argumentos de forma escrita e se tornaram mais reflexivos.
As inovações fazem parte do projeto O Celular como Ferramenta de Leitura e de Aprendizagem, iniciado há quatro anos com alunos do nono ano do ensino fundamental da Escola Estadual Luiz Salgado Lima, no município mineiro de Leopoldina. Em agosto do ano passado ─ até então, era usado apenas o telefone celular ─, o professor criou um aplicativo para facilitar o acesso dos alunos aos textos e conteúdos por ele postados no blogue. leia mais...
O ministro da Educação, Cid Gomes, esteve nesta sexta-feira, 30, no Rio de Janeiro, onde cumpriu agenda de encontros com representantes do governo estadual e municipal, bem como membros da comunidade acadêmica. Logo pela manhã, o ministro assinou termo de liberação de vagas para cargos técnicos no Instituto Federal Fluminense (IFF).
Gomes também visitou as instalações do campus Rio de Janeiro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRJ). Ele se reuniu com pró-reitores, diretores e estudantes. O ministro frisou a importância do ensino técnico para o Brasil. “É preciso fortalecer e expandir a rede. No que depender de mim, farei todos os esforços necessários”, disse. leia mais...
O Fórum Nacional de Educação (FNE), organizador da Conferência Nacional de Educação (Conae 2014) disponibiliza o Documento-Final da Conae 2014. O texto contém as propostas aprovadas pelos delegados e delegadas da etapa nacional da Conferência para o trilhar de caminhos da educação brasileira. A etapa final da Conferência Nacional de Educação ocorreu de 19 a 23 de novembro de 2014, em Brasília. Para o coordenador do FNE, Heleno Araújo Filho, o Documento-Final é a sistematização de um grande debate nacional sobre a educação brasileira. “Ele será de grande importância para o momento de elaboração dos Planos Estaduais, Distrital e Municipais de educação e para história da educação no Brasil”, enfoca. leia mais...